Saúde 15 de Mar de 2017 • 08:41

"Se o controle for bom, não existe diabetes danosa", afirma especialista

Foto: Tácio Moreira/Metropress

A endocrinologista e presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Ana Claudia Ramalho, foi entrevistada por Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (14), e comentou níveis da doença e os danos causados ao corpo em cada caso.

Chamando a atenção para os cuidados necessários, a doutora afirmou que bons resultados no tratamento, dependem de disciplina do paciente. "Temos dois tipos: 1 e 2. No 1, o paciente deixa de ter a célula que produz insulina, normalmente acontece mais em crianças, adolescentes e jovens. Já a 2, é de outra forma. A célula não é destruída, mas a insulina produzida não age bem e aos poucos pode ir diminuindo a secreção da insulina. 80% dos casos estão ligados a obesidade ou aumento de peso", declarou.

"Não existe um tipo mais danoso. O danoso é o descontrolado. Você pode ter um paciente com diabete do tipo 2, que só faz dieta, e ele está em uma situação mais danosa que o 1. O danoso não é a classificação e sim o controle que você faz. Se esse controle for bom, não tem diabete danosa. Se for ruim, isso sim tá causando danos", concluiu.

 



publicidade:


Notícias : Saúde