Política por Paloma Morais no dia 17 de Jul de 2017 • 14:49

"O MP não tem pressa", diz Janot sobre possível nova denúncia contra Temer

'O MP não tem pressa', diz Janot sobre possível nova denúncia contra Temer

Foto: Agência Brasil

Durante um evento em Washington, nesta segunda-feira (17), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o Ministério Público "não tem pressa" para apresentar uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer. Janot acusou Temer, em junho, de corrupção passiva, baseado nas delações de executivos da J&S.

"O MP não tem pressa e nem retarda denúncia. Existem investigações em curso e essas investigações, uma está mais adiantada que outra, e se até o dia 15 de setembro, último dia útil do meu mandato, eu obtive esse quadro definido, eu não posso deixar de fazer isso [apresentar a denúncia], sob pena de prevaricar, de não praticar o ato de ofício", afirmou o procurador-geral.

Janot também ressaltou que o Ministério Público não tem como objetivo trabalhar para "oferecer denúncia", e sim de "apurar" os acontecimentos. "Nós não temos a necessidade de oferecer uma denúncia, eu tenho a necessidade de apurar. Eu tenho necessidade de apurar e, convencido de que o fato é típico, e convencido da materialidade do crime e definida a autoria, aí sim partiremos para a fase do processo penal", disse Janot.

Questionado sobre a possibilidade da Câmara dos Deputados rejeitar a denúncia já apresentada contra Temer, Janot comentou que aceitará com a "maior naturalidade possível", uma vez que cada poder tem sua função."Cada um faz o seu trabalho. Eu não vou insistir nessa denúncia porque tecnicamente não tem como insistir. Não autorizou, ela vai ficar suspensa.Se a Câmara autoriza, o processo penal segue o seu curso normal. Se a Câmara não autoriza, essa denúncia fica suspensa aguardando o fim do exercício da presidência da República para dar sequência", completou. O mandato de Janot no comando da PGR acaba em setembro deste ano.



publicidade:


Notícias : Política