Política por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 11 de Jan de 2017 • 12:21

Lula compara governos e diz que crise não acaba com "punição ao trabalhador"

Lula compara governos e diz que crise não acaba com

Foto: Tácio Moreira/Metropress

Em um discurso claro contra o governo de Michel Temer (PMDB) no 29º Encontro Estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Salvador, na manhã desta quarta-feira (11), o ex-presidente Lula (PT) comentou a crise política e econômica instalada no país e disse que a saída não está na "punição ao trabalhador". "Por isso não somos perdoados. Não foi pelas coisas ruins que possamos ter feito no país. Não somos perdoados porque conseguimos provar no país que a única chance que tem de evitar crises ou sair delas é não penalizar o pobre, o trabalhador", afirmou.

"[Os trabalhadores] já foram penalizados desde que nasceram. Antes de nós, muitos nasceram e morreram sem ter um diploma do ensino fundamental, sem ter luz elétrica, sem ter rádio, geladeira, sem direito a nada. Muitos morreram vendo o seu produto ser produzido com sacrifício e não ter preço no mercado ao ser colhido e apodrecer", acrescentou.

Para o petista, que pode disputar a eleição para presidente mais uma vez no próximo ano, a crise só vai acabar quando o governo der suporte as classes mais pobres. "Nós conseguimos provar que a melhor forma de resolver o problema não é penalizar as camadas mais pobres, é incluí-las no orçamento da União e fazê-las participar do processo de decisão do destino do país", finalizou.



publicidade:


Notícias : Política