Mundo 17 de Abr de 2017 • 15:00

Bebê identificado como ‘terrorista’ é impedido de embarcar para os EUA

Bebê identificado como ‘terrorista’ é impedido de embarcar para os EUA

Foto: Steve Finn Photography

Um bebê britânico de apenas três meses foi convocado pela Embaixada dos Estados Unidos em Londres para uma entrevista, depois que seu avó, por engano, o identificou como um terrorista. Harvey Kenyon-Caims estava se preparando para viajar para Orlando, Flórida, em suas primeiras férias.

Contudo, ao preencher o formulário para autorização de viagens, o avô da criança, Paul Kenyon, cometeu um erro e marcou “sim” em vez de “não” na parte do questionário eletrônico de visto que pergunta: “você está a procura de se engajar ou já se engajou em atividades terroristas, espionagem, sabotagem ou genocídios?”. Ele só descobriu o erro quando a viagem de seu neto foi negada. A embaixada dos EUA em Londres exigiu a presença do bebê para uma entrevista que levou 10 horas.

'Eu não pude acreditar que eles não enxergavam que havia sido um erro genuíno e que um bebê de 3 meses não poderia fazer mal a ninguém', afirmou Kenyon, de 62 anos. Harvey foi levado até a embaixada dos EUA em Londres para um questionário com os oficiais. O erro ainda custou a Kenyon uma multa de £3 mil e o visto não chegou a tempo para os voos da família.



publicidade:


Notícias : Mundo