Esportes por Matheus Simoni no dia 10 de Out de 2017 • 18:56

"Estaria feliz se não tivéssemos um esporte exportador de pé de obra", diz Juca Kfouri

Foto: Pedro França/Agência Senado

O jornalista Juca Kfouri foi entrevistado na Rádio Metrópole nesta terça-feira (10) e falou sobre, entre outros assuntos, a prisão do presidente afastado do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, na última semana. Para ele, a detenção de dirigentes esportivos envolvidos em escândalos é necessária para abalar a estrutura de corrupção montada no esporte do país.

"Eu quero deixar claro que não sou inimigo deles, eu apenas cumpri minha missão jornalística. Eles não me fizeram nenhum mal, fizeram ao esporte brasileiro. Eu gostaria que eles fossem punidos para quebrar a estrutura do esporte brasileiro. O fato de Nuzman estar preso não é garantia de que vamos mudar a super estrutura do nosso esporte, que é corrupta", declarou o jornalista.

Kfouri destacou o recente lançamento do seu mais novo livro, batizado de ʹConfesso que Perdiʹ, que traz histórias sobre futebol e política. Questionado pelo jornalista James Martins sobre o título da obra, ele brincou e resolveu guardar a informação para quem quiser ler o livro. "Você acha que alguém que 50 anos atrás que começou sua militância clandestina na ditadura, alguém que está há mais de 40 anos mostrando os bastidores podres do esporte e encontrar hoje o país com ʹSeu Temerʹ presidente, um país que faz Olimpíada em casa e não faz sucesso porque não quer, que sequer tem um política de esportes... Você acha que ganhei?", brinca. "Eu diria que ganhei se tivesse o olho só no umbigo. Há quem diga que empatei, que venci. Eu digo que não. A prisão de Nuzmam não me faz feliz, apesar de justa. Eu estaria feliz se nós tivéssemos uma gestão honesta, tivéssemos um esporte que não fosse exportador de pé de obra", finalizou.



publicidade:


Notícias : Esportes