Saúde por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 12 de Mai de 2017 • 12:38

"Silenciosa e insidiosa", diz ortopedista sobre lesão por anemia falciforme

'Silenciosa e insidiosa', diz ortopedista sobre lesão por anemia falciforme

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Chefe do serviço de ortopedia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), o médico e professor Gildásio Daltro foi entrevistado por Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta sexta-feira (12), e comentou um tratamento alternativo  fruto de uma pesquisa  para portadores de anemia falciforme, que desenvolvem necrose nos ossos. A cirurgia, que aplica uma espécie de massa com células-tronco do paciente, tem até 93% de sucesso.

"A anemia falciforme é uma doença no sangue e por mecanismo levam à obstrução dos vasos. É uma doença genética, que atinge principalmente os negros. O tratamento é simples. Aspiramos a medúla do cidadão em 1h20. Depois do processo, temos um concentrado de células e injetamos as células no lugar da lesão", explicou Daltro.

Ainda de acordo com o médico, a lesão é silenciosa e insidiosa. "Acomete o individuo entre 18 e 40 anos. A grande maioria tem a lesão. Quando o indivíduo chega a ter os sintomas está há um ano com a lesão. A solução com a terapia celular músculo-esquelético, é uma realidade. No Brasil está contido, na Bahia, mas em breve será extendido para toda a população", afirmou.



publicidade:


Notícias : Saúde