Política 19 de Mai de 2017 • 15:37

"Seria melhor que o áudio não tivesse existido", diz Padilha sobre escândalo envolvendo Temer

'Seria melhor que o áudio não tivesse existido', diz Padilha sobre escândalo envolvendo Temer

Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro Eliseu Padilha falou sobre o escândalo envolvendo o presidente Michel Temer e afirmou que seria melhor "que o áudio não tivesse existido". Ele disse, contudo, que acha que a divulgação da gravação dissipou a crise. Padilha falou também que acredita que o calendário de votação das reformas será mantido, e que o expediente no Palácio foi normal nesta sexta-feira (19).

"Seria melhor que não tivesse existido, mas ele não tem todo esse comprometimento que foi num primeiro momento sinalizado. Conversando e explicando o que o presidente Michel, e ele disse no discurso dele, teve um gesto humanitário e foi interpretado como de outro caráter", afirmou. "Nós passamos por uma tempestade, mas com a divulgação dos áudios, a tempestade cessou", concluiu Padilha.

Ele afirmou também que, ainda na quinta-feira (18) após o pronunciamento de Temer, foi contida o início de dispersão na base do parlamento. "O PTN fez uma declaração, mas que os deputados se apressaram em dizer que é uma, isolada. Foi feita por aquela deputada que, circunstancialmente, é a presidente do partido, mas é uma posição isolada. O PPS oficialmente não tirou posição. O PSDB esteve no Palácio com o Tasso (Jereissati) e os ministros reiterando a manutenção na base do governo", afirmou.



publicidade:


Notícias : Política