Esportes 11 de Jan de 2017 • 15:31

Sport ajuda Chape com dinheiro e jogador; Bahia e Vitória ficam só nas palavras

Sport ajuda Chape com dinheiro e jogador; Bahia e Vitória ficam só nas palavras

Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil

Cerca de dois meses após a tragédia envolvendo o avião da Chapecoense, o time de Santa Catarina já começa a dar os primeiros passos para se reerguer. Depois de perder 19 jogadores, a equipe de Chapecó contratou o técnico Vagner Mancini, que esteve na temporada passada no comando do Vitória. Além do comandante, 11 jogadores foram anunciados pela diretoria, que ainda busca uma série de peças para completar o elenco. Os atletas chegaram ao clube após um movimento criado por outros times brasileiros com intuito de emprestar jogadores de forma gratuita para a Chape. Fora desse grupo, Bahia e Vitória vão assistindo outros clubes, como o vizinho nordestino Sport, se movimentarem para apoiar o time catarinense, embora na época da tragédia o discurso fosse de união e apoio em meio ao luto. 

A diretoria do clube tricolor homenageou a Chapecoense pelas redes sociais e prestou solidariedade às vítimas e aos familiares. Entretanto, o Esquadrão de Aço não adotou nenhuma medida para colaborar com a reestruturação do time de Santa Catarina. "O Esporte Clube Bahia manifesta pesar e toda a solidariedade à Associação Chapecoense de Futebol", anunciou anota oficial divulgada pelo clube no dia seguinte à tragédia. Na ocasião, o Bahia cancelou uma foto oficial que seria realizada com os atletas de todas as categorias e todos os funcionários tricolores no Fazendão, em comemoração ao acesso à Série A. 

No Vitória, o clube rubro-negro tentou, juntamente com o Palmeiras, utilizar o uniforme da Chapecoense na partida contra o Palmeiras, a última do Brasileirão 2016, realizada no dia 11 de dezembro. Também nas redes sociais, o Leão da Barra manifestou pesar e solidariedade. "O Esporte Clube Vitória, por meio desta nota, manifesta profundo pesar pela tragédia ocorrida com o avião que transportava a delegação da Associação Chapecoense de Futebol, jornalistas e convidados, a caminho do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana", afirma a nota publicada no site.

Entre as vítimas do acidente com o avião envolvendo a delegação da Chapecoense, estavam alguns jogadores que jogaram pelo Bahia e pelo Vitória: William Thiego, Ananias (Bahia), além de Cléber Santana e Arthur Maia (Vitória). O técnico Caio Júnior, comandante da Chape, também treinou as duas equipes. No voo também estava o ex-preparador físico do tricolor Anderson Paixão. Entre as vítimas também estava o ex-jogador e técnico do Vitória, Mário Sérgio, que encerrou a carreira no Bahia em 1987.

Vizinho nordestino protagoniza movimento de apoio

Alheio ao esquecimento dos baianos, o Sport Clube do Recife puxa a fila dos times que mais apoiaram o ressurgimento da Chapecoense. Uma das promessas que saíram do papel foi a doação de valores para a equipe de Chapecó, que recebeu cerca de R$ 220 mil em doações diretamente na conta do clube. Dessa quantia, R$ 98 mil foram do Leão da Ilha do Retiro, que doou a renda do jogo contra o Figueirense, na última rodada do Brasileirão de 2016. Os detalhes da doação foram divulgados pelo jornalista Rafael Henzel, um dos sobreviventes da tragédia.

 

Além do reforço financeiro, o Sport acertou a transferência do atacante Túlio de Melo para a Chapecoense. O time pernambucano negocia também a ida do lateral-direito Apodi, que estava na Chape entre 2015 e 2016.



publicidade:


Notícias : Esportes