Cultura por Laura Lorenzo e Paloma Morais no dia 06 de Out de 2017 • 19:13

Empresários preferem ʹgatinhos globaisʹ a competência, diz Ninha: "Tempestade medíocre"

Empresários preferem ʹgatinhos globaisʹ a competência, diz Ninha:

Foto: Matheus Simono / Metropress

Entrevistado na Rádio Metrópole nesta sexta-feira (6), o cantor e compositor Ninha falou sobre a dificuldade de inserção no mercado da música para artistas negros, ou aqueles que não se encaixam nos padrões estabelecidos. Segundo ele, o preconceito é grande no ʹsistema musicalʹ, o que deixa o campo ʹmedíocreʹ.

"Rola muito preconceito aqui, que dá mais lugar ao gatinho que os artistas negros. Não dão valor intelectual, cultural. Eles [os empresários] querem o gatinho global, então a competência fica do lado, eles não investem na qualidade, então a gente está enfrentando essa tempestade medíocre dentro do sistema musical. Se você correr para o Nordeste [de Amaralina], Engenho Velho, Subúrbio e fazer uma enquete, tem muita gente boa. Só não tem oportunidade. Eu cheguei porque Deus quis, os Orixás, e porque o povo me abraçou" contou Ninha.



publicidade:


Notícias : Cultura