Cidade por Laura Lorenzo e Matheus Morais no dia 13 de Fev de 2018 • 13:57

ʹNão cabe ao prefeito obrigar o folião a irʹ, diz Neto sobre diminuição dos blocos

ʹNão cabe ao prefeito obrigar o folião a irʹ, diz Neto sobre diminuição dos blocos

Foto: Valter Pontes/Secom

O prefeito ACM Neto fez mais uma avaliação do Carnaval 2018 de Salvador, nesta terça-feira (13), e ao ser questionado sobre o número de blocos na avenida, afirmou que a prefeitura não tem obrigação de bancar a iniciativa privada. Negando ser contra os blocos, Neto disse que está apenas atendendo a vontade do folião ao aumentar os trios sem corda.

"Os blocos são essenciais para o carnaval de Salvador, mas não cabe ao prefeito ou a quem quer que seja obrigar o folião a ir atrás de bloco. Eu uso como exemplo o Camaleão. O Camaleão passou com mais de 5 mil integrantes, porque tem gente que quer ir ver Bell. Agora, tem outros blocos que não tem mais, hoje, o mesmo apelo comercial, e por isso acabaram não saindo. Mas aí é uma questão do negócio. A prefeitura tem uma responsabilidade, que é garantir conteúdo. O conteúdo é ter o artista desfilando na avenida", disse Neto.

O prefeito ainda garantiu que aqueles artistas que decidirem sair dos blocos terão apoio da gestão municipal. "Na medida que a gente tiver a disponibilidade desses artistas, que eles não estiverem tocando em blocos, a gente vai colocar para saírem sem corda. Não vejo nenhum problema, pelo contrário, é solução. É o que o folião quer, e a prefeitura faz o que o folião quer: colocar o artista para sair sem corda. Os blocos tem que existir, mas o bloco é um negócio privado. É da estratégia comercial de cada um, e o prefeito não pode manipular isso", completou.



publicidade:


Notícias : Cidade